Secretário da Fazenda afirma que situação financeira de SC está na beira do precipício

0
90
Foto: Tiago Ghizoni/Diário Catarinense

O secretário da Fazenda, Paulo Eli, fez uma exposição didática, serena, clara e com dados contundentes durante sessão especial da Assembleia Legislativa, convocada para tratar dos polêmicos decretos que cancelaram incentivos fiscais e elevaram alíquotas do ICMS em diversos produtos catarinenses. Mas recebeu um bombardeio de críticas aos atos.

Defendeu os cortes nos incentivos fiscais, sob alegação de que há privilégios e desigualdades em vários setores que não recolhem tributos ou pagam alíquotas menores, a maioria sem justificativa social.

Alertou que “a situação financeira do governo é crítica” e que há necessidade de um amplo debate com a Alesc para estudo profundo das 20 mil páginas sobre incentivos fiscais em SC.

A seguir, declarações textuais do secretário.

“O governo tem situação pré-falimentar. O déficit mensal está em R$ 210 milhões e o deste ano é superior a R$ 2,5 bilhões”.

“A dívida pública é impagável.  O Estado está sem condições financeiras para pagar a dívida”.

“O sistema de previdência pública faliu. Terá um déficit este ano de R$ 3,8 bilhões”.

“A carga tributária é elevada e mal distribuída”.

“A Secretaria da Fazenda não é contra os incentivos fiscais. É a favor da isonomia e contra a desigualdade”.

“A situação financeira de Santa Catarina é muito perigosa. Está na beira do precipício”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here