Fórum Tecnológico apresenta novas biotecnologias para controle de plantas daninhas

0
77
Foto: Divulgação

A 1ª edição do Fórum Tecnológico Copercampos, evento que compõe a programação do 25º Show Tecnológico Copercampos, realizado no dia 11 de fevereiro, apresentou informações e conhecimento ao produtor rural sobre os novos caminhos para controle de plantas daninhas resistentes ao glifosato.

Com novas biotecnologias disponíveis, o produtor precisa se atualizar, e o fórum tornou-se relevante para apresentar informações de pesquisadores, representantes de empresas, produtores rurais e órgãos governamentais.

Três palestras foram promovidas no evento. O painel, com o tema “O Futuro do manejo de plantas daninhas no Brasil com novas tecnologias transgênicas: Benefícios e desafios” com o Dr. Pedro Jacob Christoffoleti, Professor da USP/ESALQ, apresentou informações de como utilizar as tecnologias com sustentabilidade. “O que precisamos discutir é o uso das novas tecnologias e de novas plantas daninhas resistentes, como temos hoje o Amaranthus hybridus com casos de resistência no Paraná e Rio Grande do Sul e com as novas plataformas temos uma solução para problemas que o glifosato tem enfrentado. A resistência de plantas daninhas é desafiadora para o agricultor e na pesquisa. É preciso se preparar para aplicar as tecnologias com boas práticas de uso, caso contrário, não utilize”, ressaltou Pedro.

Painéis sobre as “Boas práticas na tecnologia de aplicação de herbicidas hormonais” com o Dr. Ulisses Rocha Antuniassi, professor da faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp e sobre “Limpeza de pulverizadores após aplicação de herbicidas hormonais” com o Dr. Walter Boller, professor da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Passo Fundo/RS, apresentaram processos relevantes para utilização de novos produtos, com aplicação inteligente.

O debate com os painelistas e com os convidados, Eng. Agrônomo Lucas de Almeida Chiocca, produtor rural e Vice-presidente da APROSOJA/SC e com o Eng. Agrônomo Mário Alvaro Aloísio Veríssimo, Analista Técnico em Fiscalização de Insumos Agrícolas da Cidasc, além da participação dos presentes no Fórum, foi fundamental para esclarecer ações durante a aplicação das novas biotecnologias.

Para o debatedor Lucas Chiocca, em Santa Catarina, há um trabalho cooperativo muito eficiente e os produtores do estado estão apoiando e farão o uso correto destas novas biotecnologias. “O produtor catarinense tem uma preocupação ambiental e isso faz a diferença na utilização de biotecnologias que promovem o desenvolvimento da atividade. Nós, muitas vezes somos vistos de uma maneira errada, e vejo que o homem do campo é quem faz a melhor preservação do meio ambiente”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here