Respiradores: relatório da CGE indica envolvimento de dois ex-secretários e atual titular da Saúde de SC

0
67
Foto: Divulgação

A Controladoria-Geral do Estado entregou nesta quinta-feira (25) à tarde ao Ministério Público e à CPI dos respiradores o relatório da comissão interna que investigou a compra que custou R$ 33 milhões aos cofres públicos do Estado. A CGE buscou identificar práticas que lesaram a administração do governo de Santa Catarina durante a negociação dos 200 equipamentos.

A reportagem do Diário Catarinense teve acesso exclusivo ao relatório, que apresenta indícios de “práticas de atos de improbidade” envolvendo dois ex-secretários do governo – Douglas Borba (Casa Civil) e Helton Zeferino (Saúde) – e infrações administrativas de mais seis servidores, entre eles o atual secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro.

É a primeira vez que André Motta é citado na investigação dos respiradores. Na época da compra ele era secretário-adjunto da Saúde, e assumiu a titularidade da pasta após a exoneração de Zeferino dias depois da negociação ser denunciada pelo portal The Intercept Brasil.

O atual secretário já havia prestado depoimento na CPI, onde foi questionado sobre a participação na compra. Na época, disse apenas que identificou quantitativos para colocar no sistema e que sua função era apenas checar com os hospitais que equipamentos faltavam. No dia 20 de maio os deputados da Alesc chegaram a pedir o afastamento de Motta sob a alegação de que ele teria recebido uma comunicação da empresa Exxomed, que possui o registro para importação de respiradores, informando que a empresa Veigamed não tinha autorização para fazer a compra dos equipamentos.

Conforme a CGE, a investigação é “preliminar” e, sozinha, não pode basear qualquer punição aos citados, pois trata-se de uma apuração sem “contraditório e ampla defesa”. No entanto, o relatório sugere a abertura de processo administrativo disciplinar contra os agentes públicos envolvidos e processo de responsabilização civil contra as empresas.

CPI vai pedir afastamento do controlador-geral
A entrega do relatório vem no mesmo dia em que a CPI dos respiradores aprovou um requerimento que pede o afastamento do chefe da Controladoria Geral do Estado (CGE), Luiz Felipe Ferreira, do cargo.

Os deputados defendem que o controlador não teria tomado medidas e precauções para evitar irregularidades na compra de 200 respiradores por R$ 33 milhões, com pagamento antecipado pela Secretaria de Saúde.

Ferreira prestou dois depoimentos na CPI, o último deles na terça-feira (23), quando disse que a CGE estava concluindo a sindicância. Algumas das informações presentes no relatório já haviam vazado e, inclusive, foram adiantadas pelo deputado Ivan Naatz (PL) na terça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here