Moradores de SC recebem pacotes de sementes clandestinas e governo emite alerta para riscos

0
63
Foto: Divulgação

A Companhia de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) emitiu um alerta à população, principalmente para produtores rurais, após catarinenses receberem pacotes com sementes não identificadas junto da entrega de produtos comprados pela internet. A preocupação é com a possibilidade de propagação de doenças agrícolas.

A primeira denúncia ocorreu há uma semana feita por um casal de Jaraguá do Sul, no Norte de Santa Catarina. Na terça-feira (15), moradores de Florianópolis, Timbó, no Vale do Itajaí, de Braço do Norte, no Sul, além de paranaenses e gaúchos, procuraram a órgão de fiscalização catarinense, ligado à Secretaria de Estado da Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural para informar que também foram surpreendidos com a chegada de sementes.

A orientação é que, quem receber “sementes misteriosas” em casa, acione a Cidasc, o Ministério da Agricultura Agropecuária e Abastecimento (Mapa) ou mesmo a secretaria municipal de agricultura. Não se deve abrir os pacotes, nem mesmo jogar as sementes no lixo, muito menos plantá-las.

Segundo a engenheira agrônoma Fabiane dos Santos, gestora da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Cidasc, plantas ou sementes contaminadas podem propagar doenças para outras e, caso, não haja controle sobre a procedência delas, o risco é ainda maior.

“Como essas sementes não passaram por nenhum processo de inspeção, não tem como garantir que elas não estejam veiculando pragas e doenças de importância agrícola ainda não presentes no Brasil e que se entrarem no país, podem causar grande impacto e prejuízos econômicos, perdas de produção, e consequentemente, mais uso de insumos, de agrotóxicos”, explica a engenheira agrônoma.

A suspeita é que as sementes clandestinas sejam de espécies ornamentais e de origem chinesa, mas tanto origem quanto a espécie das sementes são investigadas, pois as identificações nas embalagens podem ser falsas.

Em agosto, o Mapa emitiu alerta para que fosse acionado caso alguém recebesse sementes em casa, após norte americanos receberem em casa sementes que seriam chinesas e o caso ser investigado pelas autoridades do Estados Unidos. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China disse que os envios pareciam falsificados.

Cidasc alerta população sobre pacotes de sementes recebidos pelos Correios

“Esses materiais estão vindo como brindes de mercadorias que as pessoas adquirem por e-commerce, geralmente de países asiáticos”, contou Fabiane em entrevista ao G1 – no vídeo acima ela dá mais detalhes sobre o caso.

Todo material de origem vegetal, mudas e sementes precisam de autorização do Mapa para importação. Em Santa Catarina, a chegada de produtos vegetais podem ser informados pelos telefones 0800-644-6510 ou (48) 3665 7300 (WhatsApp).

Brindes perigosos

O morador de Jaraguá do Sul Gabriel Zapella e a mulher receberam as sementes, não encomendadas, na terça-feira (8) junto com três produtos de decoração comprados pela internet. Elas foram recolhidas no dia seguinte pelo Estado.

“Vieram quatro pacotes: três com produtos e um com sementes Quado recebi já tinha lido sobre essas sementes que estavam vindo da China para os Estados Unidos, então postei nas redes sociais e marquei a Secretaria de Agricultura. No outro dia cedo, a Secretaria me ligou e combinamos de uma pessoa da Cidasc passar aqui e recolher”, conta o editor de vídeos Gabriel Zapella.

Como Gabriel soube que nos Estados Unidos sementes eram alvo de investigação, não abriu os pacotes que recebeu.

“Veio em dois pacotinhos de plástico daqueles seláveis, um parecia sementes de café um pouco mais cinza, e o outro pacote com várias sementes bem miudinhas”, relembra o morador do Norte catarinense.

De acordo com a engenheira agrônoma, em outros países há quem recebeu sementes com produtos que nem encomendaram. Há casos também em que as sementes foram identificadas no pacote como sendo jóias.

“A orientação para a população em geral é que não compre de sites algum plantas, que vão percorrer longas distâncias, pois por mais eficiente que seja a fiscalização, a gente não consegue fiscalizar 100% os materiais que podem chegar pelos meios de distribuição de encomendas. O mesmo vale para quando as pessoas viajam: não tragam para casa. Valorizem o mercado local”, diz a engenheira agrônoma.

Segundo a diretora da área vegetal da Cidasc, apreensões são feitas quando há produtos irregulares vegetais identificados por distribuidoras, como os Correios. O número de apreensões realizadas durante a pandemia não foi informado até o início da manhã desta quarta (16).

Risco da utilização de sementes ilegais

Plantas Daninhas: introdução de alguma espécie vegetal sem ocorrência no Brasil, o que pode dificultar o controle da mesma e/ou aumentar o uso de agrotóxicos, afetando a produtividade agrícola e pecuária, além dos riscos ao ambiente.

Insetos: sementes podem ser disseminadoras de insetos praga, comprometendo a produtividade de lavouras e aumentando o custo produção.

Fungos, Bactérias e Vírus: sementes sem procedência podem vir contaminadas e tornam-se vetores de grandes epidemias de doenças no campo e, consequentemente, a perda de produtividade e o aumento do custo da produção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here