Hospital Hélio dos Anjos Ortiz abre cinco novos leitos de UTI neonatal

0
87
Foto: Mauricio Vieira / Secom

O trabalho de articulação desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Secretaria da Saúde, permitiu que, nos últimos 15 dias, fosse realizada a abertura de mais 47 leitos para atender à população catarinense, sendo que, destes, 20 dedicados ao atendimento neonatal e pediátrico.

Buscando suprir a demanda de forma imediata, além da ampliação da rede SUS, o Estado está realizando a compra de todos os leitos disponíveis na rede privada que, por conta da demanda, também está sofrendo pressão na assistência.

Nesse primeiro momento, já foram abertos 6 novos leitos de UTI neonatal, sendo 1 no Hospital Infantil Joana de Gusmão e 5 no Hospital Hélio dos Anjos Ortiz, em Curitibanos; 8 de cuidados intermediários pediátricos, no HIJG; e 6 leitos de UTI pediátrica, no Hospital Pequeno Anjo (Itajaí).

Situação de emergência

Recentemente, decretou-se situação de emergência por 90 dias, permitindo mais segurança jurídica para os gestores do estado e dos municípios para ampliação dos serviços de saúde e viabilização da abertura dos novos leitos de UTI e leitos intermediários em todas as regiões de Santa Catarina, para que os municípios possam, junto ao Estado, fortalecer as ações de saúde:

A articulação com unidades hospitalares segue e o custeio desses leitos está sendo realizado totalmente pelo governo do estado. O investimento total no plano de ação desenvolvido com o decreto prevê um aporte de R$ 65 milhões entre ações de abertura de leitos, ampliação da rede de atenção básica, combate à dengue e ampliação das campanhas de vacinação.

Este movimento faz parte da estratégia adotada para enfrentamento da sobrecarga do sistema de saúde frente às doenças respiratórias, características desta época do ano, bem como da COVID-19 e da dengue. A implementação dos novos leitos prevê, ainda, 62 leitos infantis e mais 5 adultos.

Como funciona o processo de regulação de um leito

A Central de Regulação observa os leitos de forma estadual e não regional. Ou seja, um leito que esteja disponível em Joinville não necessariamente será usado por um paciente de Joinville quando vagar, mas por aquele que tiver um caso de maior urgência. Para isso, a Saúde possui uma rede de absorção integrada e de apoio aos casos mais graves. As transferências são realizadas de acordo com a necessidade e respeitando as condições clínicas do paciente SUS, sendo necessário também o consentimento do familiar.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here