Membros de facção que operava o tráfico de drogas em Curitibanos são condenados

0
555
Imagem de 3D Animation Production Company por Pixabay

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a condenação de 22 integrantes de uma organização criminosa que atuava no tráfico de drogas em Curitibanos. As penas variam de 22 anos de prisão em regime fechado a três anos de reclusão em regime aberto, além do pagamento de multas e custas processuais.

Além dos 22 condenados, dois homens são considerados foragidos e não foram julgados ainda. A sentença foi proferida pelo Juízo da Vara Criminal de Curitibanos.

As investigações começaram em meados de 2019, quando a Polícia Civil reuniu informações e a 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Curitibanos obteve a ordem judicial para a quebra do sigilo telefônico dos integrantes da organização criminosa. Ligações interceptadas e conversas coletadas em grupos de WhatsApp demonstraram o modus operandi da facção e apontaram as funções específicas exercidas pelos acusados.

Em julho de 2020, o MPSC obteve uma nova ordem judicial e a Polícia Civil deflagrou a “Operação Diablo”, cumprindo vários mandados de busca e apreensão. Integrantes da organização foram detidos preventivamente ou em flagrante delito. Os policiais encontraram entorpecentes, armamentos, aparelhos celulares, dinheiro e anotações em dez locais diferentes.

A sequência das investigações mostrou que os acusados usavam armas de fogo para amedrontar a população de Curitibanos e cobrar dívidas de usuários devedores.

Eles também pichavam a sigla da facção criminosa em estabelecimentos públicos e privados para tentar demonstrar poder e ostentavam nas redes sociais. O grupo contava, ainda, com a participação ativa de crianças e adolescentes no processo de fracionamento, venda e distribuição de entorpecentes.

Delegada Regional de Policia da Comarca de Curitibanos, Dra Roxane Fávero comentou sobre o trabalho de investigação que proporcionou subsídios para que o MP conseguisse a condenação.

O Promotor de Justiça que atuou na acusação, Dr. Raul Gustavo Juttel, da 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Curitibanos, também comentou sobre a condenação.

No julgamento, os integrantes do esquema foram condenados a penas de reclusão em regime fechado, semiaberto ou aberto e ao pagamento de dias-multa.

Um dos chefes da organização em nível estadual e responsável pelas ações em Curitibanos, foi condenado a seis anos, dois meses e 20 dias em regime inicial fechado e ao pagamento de 1.449 dias-multa pelo crime de associação ao tráfico de drogas, agravado por ser praticado próximo a escolas ou estabelecimentos penais, com o envolvimento de menores. Ele responde a outras ações em Joaçaba e Chapecó e também será julgado pelas respectivas comarcas.

O líder local da facção foi condenado a 22 anos, 11 meses e nove dias de reclusão em regime inicial fechado e ao pagamento de 2.502 dias-multa pelos crimes de tráfico, associação ao tráfico de drogas e integração de facção criminosa. Também foi condenado a um ano, quatro meses e dez dias em regime inicial semiaberto por posse irregular de arma de fogo.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here