Estudo com vacina AstraZeneca em Botucatu indica queda de 71% de casos de Covid após vacinação em massa

0
148
Foto: Gabriela Prado/ TV TEM

O estudo feito pelo Ministério da Saúde com a vacina AstraZeneca, a segunda mais usada no país contra a Covid, mostrou redução de 71% de casos da doença seis semanas após a vacinação em massa em Botucatu (SP).

Segundo os pesquisadores, era esperada a redução de casos a partir da segunda quinzena de junho, situação confirmada pelos dados preliminares da pesquisa.

Somente na última semana, fechada no sábado (26), essa média ficou em 40 casos por dia, contra 73 registros na semana anterior, uma queda de 45%. No acumulado entre a quinta e sexta semana após a vacinação em massa, quando começou a ser registrada a queda de casos, a redução foi de 71,3%.

Um estudo similar, feito com a vacina CoronaVac, no município de Serrana (SP), também apresentou resultados positivos, com queda de 95% das mortes na cidade. Outra pesquisa realizada em Viana (ES) avalia a eficácia de meia dose da AstraZeneca.

Segundo o médico infectologista e responsável pelo estudo, Carlos Fortaleza, a tendência é que, como a vacina ameniza os sintomas, a transmissibilidade fique menor. E a partir dessa queda na transmissibilidade também deve passar a cair a taxa de internações, ou seja, do desenvolvimento de casos graves que precisam de hospitalização e, por consequência, a redução das mortes.

“A nossa expectativa é que após três, quatro semanas após a vacinação, quando o nosso organismo começa a criar os anticorpos eficazes nas pessoas, haja uma redução significativa dos casos, isso deve ocorrer em meados de junho”, previu Fortaleza.

Pesquisadores que acompanham o estudo de efetividade da vacina veem essa queda pela segunda semana consecutiva já como reflexo da primeira dose da Oxford/AstraZeneca, mas o acompanhamento dos números pode reforçar essa relação. O uso de máscara e distanciamento devem continuar sendo respeitados. A segunda dose está prevista para agosto.

Botucatu está em primeiro lugar no número de doses aplicadas no estado de São Paulo, segundo dados do Vacinômetro. Dos cerca de 148 mil habitantes, 120.405 receberam a primeira dose, cerca de 81% da população geral. A população adulta, porém, está basicamente toda vacinada, segundo a prefeitura.

Na última quarta-feira (23), pela primeira vez desde o início da pandemia, o Hospital do Bairro, que tem dez leitos de emergência para pacientes com Covid-19, não registrou nenhuma internação. Já o Hospital das Clínicas segue com alta ocupação (105% até o último sábado), mas a unidade é referência e atende pacientes de 68 municípios da região.
O estudo inédito de efetividade da vacina Oxford/AstraZeneca avalia também as cepas do coronavírus.

Vacinação em massa

No dia 16 de maio foi realizada a primeira ação, quando mais de 66 mil pessoas foram imunizadas desse público que era estimado em quase 80 mil pessoas. Ainda de acordo com Fortaleza, a expectativa com essa primeira dose é de uma eficácia de 70% contra o vírus durante os três meses até a segunda dose.

Segundo os dados dos boletins epidemiológicos de Botucatu, nas últimas semanas a média de casos de Covid-19 ficou assim:

16/05 a 22/05: 92 casos por dia (média)
23/05 a 29/05: 91 casos por dia (média)
30/05 a 05/06: 93 casos por dia (média)
06/06 a 12/06: 141 casos por dia (média)
13/06 a 19/06: 73 casos por dia (média) – queda de 48%
20/06 a 26/06: 40 casos por dia – queda 45% (71,3% no acumulado de duas semanas)

A vacinação em massa em Botucatu faz parte do projeto de estudo da vacina produzida pelo laboratório AstraZeneca, Universidade de Oxford e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), elaborado pela parceria entre a prefeitura, Ministério da Saúde, governo federal, Unesp, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, e Fundação Gates.

Desde o dia 16 de maio, que foi chamado de dia D da vacinação em massa, quando mais de 66 mil pessoas foram vacinadas em uma estrutura igual a usada nas eleições, a cidade vem realizando ações para imunizar toda a população adulta, entre 18 e 60 anos, como parte do estudo, exceto as grávidas que só podem receber doses da Coronavac ou da Pfizer.

No dia 22 de maio uma nova vacinação em massa foi realizada. Mais de 8 mil pessoas se cadastraram para receber o imunizante e pouco mais de 5 mil doses foram aplicadas. Também foram feitas vacinações para estudantes da Unesp e de moradores da zona rural.
No dia 11 de junho, terminou a última etapa para vacinação das pessoas que não foram imunizadas nessas ações. Uma triagem foi feita durante toda a semana, do dia 7 ao dia 11, de pessoas que se cadastraram no site da prefeitura e receberam as orientações via SMS para uma nova avaliação de documentos para poder receber a dose da vacina.

Todo o processo de cadastro e vacinação em Botucatu tem o acompanhamento e auditoria realizados pelas Forças de Segurança do Município (Guarda Civil Municipal, Polícia Civil e Polícia Militar), OAB Botucatu, Justiça Eleitoral, Ministério Público e Tribunal de Justiça de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here